Paola Rodrigues

Paola nasceu, mora e pretender morrer na cidade de 135 mil habitantes à margem do Rio Paraíba chamada Pindamonhangaba.
Desde pequena dava a mesma resposta para a fatídica pergunta de primário "O que você quer ser quando crescer?", se enchia de ar e respondia "Quero ser artista".
Na adolescência foi descobrir que a Arte que tanto amava era mais bela quando estudada e em união pela paixão por História e músicas estranhas nasceu o sonho de estudar a história da arte do país que nasceu e ama.
Aos 16 anos ganhou uma câmera simples, Kodak vermelha compacta e a liberdade de poder ter o mundo registrado pelo seu olhar.
Nisso nasceu a paixão por galhos de árvores, nuvens volumosas e olhares melancólicos nas ruas.
Hoje ela escreve crônicas sobre pessoas que existem na imaginação e a imaginação sobre pessoas que existem, tira fotos de crianças e nuvens e estuda Arte da melhor forma que pode.